Desbravadores do mundo: Max Carvalho

Ele nasceu em Pernambuco e, como a maioria dos brasileiros, era apaixonado por futebol. Até que, em 1998, assistindo eventos de luta na TV, conheceu o jiu-jitsu. Hoje, Max Carvalho, faixa preta três graus da equipe ZR Team Association, comanda a maior academia de jiu-jitsu na Hungria, com mais de 150 alunos ativos. Max foi um dos primeiros alunos do mestre Zé Radiola que ganharam o mundo, levando a arte suave para os mais diversos locais do planeta.

Aluno desde a faixa branca do mestre Zé Radiola, sua paixão pelo jiu-jitsu surgiu, aos 19 anos, quando viu uma luta na TV em que o grande campeão do evento, além de ser brasileiro, era menor que todos os seus oponentes. “Isso fez com que eu me encantasse logo de cara. Tive a sorte de conhecer o mestre Zé Radiola e, com seu carisma e sua forma de ensinar, fez logo com que eu gostasse mais do jiu-jitsu, tanto que parei de jogar bola para evitar lesões que me tirassem dos treinos”, evidenciou Max.

Sempre muito dedicado, persistente e apaixonado por tudo que faz, Max Carvalho começou a se destacar em competições locais, regionais e nacionais, o que transformou a arte suave em uma das coisas mais importante de sua vida. Em 2004, Max recebeu do mestre Zé Radiola a missão de desenvolver o jiu-jitsu no leste europeu, mais especificamente na Hungria, local onde o esporte ainda não havia evoluído.

“Cheguei à Europa sem saber falar inglês, sem conhecer ninguém, sem roupa própria pro frio, sem dinheiro, sem academia e nem casa pra morar, mas com muita disposição e muita vontade de fazer as coisas darem certo. Fui desenvolvendo meu trabalho aos poucos com a ajuda de muitos amigos que conheci na Hungria, especialmente Zakonyi Bence e Posta Balasz, consegui o apoio necessário para não desistir e seguir focado”, narrou Max Carvalho.

Hoje minha missão é fazer com que meus alunos consigam fazer o que eu fiz”

Com o bom trabalho desenvolvido com seus alunos na Hungria, Max passou a se destacar e chamou a atenção de atletas de países vizinhos que não tinham um faixa preta para guiá-los. Assim, começaram a chegar os convites para ministrar seminários e, logo depois, passou a abrir filiais e seus alunos atualmente ministram aulas em diversos locais ao redor da Hungria, como Áustria, Rússia, Croácia, Ucrânia, Romênia, Moldova, Eslováquia, Sérvia, Chipre e Grécia.

“O jiu-jitsu me deu tudo que tenho hoje, graças a esse esporte já viajei por mais de 20 países diferentes, conheci muitas culturas, fiz muitos amigos e realizei muitos sonhos. Hoje minha maior missão é fazer com que meus alunos também consigam fazer tudo que eu fiz”, destaca Max Carvalho ao comemorar, ainda, o crescimento da ZR Team Association ao redor do mundo em menos de três anos.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *